Não é Plano de Saúde, é Nipomed!

SUS COMPLETA 30 ANOS COM CONSIDERÁVEL SALTO NA QUALIDADE DE ATENDIMENTO

Sistema Único de Saúde, inspirado pelo National Health Service britânico, surgiu junto com a Constituição de 1988 ao ser assegurado a Saúde como direito universal. Entre trancos e barrancos e apesar da péssima administração pública que garantiu ao SUS um status de precariedade, o sistema chega aos seus 30 anos de existência com registros positivos em relação à qualidade de atendimento.

“A criação do SUS, Sistema Único de Saúde, foi a maior conquista da democracia brasileira. Por que isso? Porque antes da criação do SUS, as pessoas eram divididas entre aqueles que tinham alguma cobertura de saúde e aqueles que não tinham direito. Os que tinham direito eram apenas os que estavam no mercado formal de trabalho e contribuíam com a Previdência Social, os demais eram atendidos pela caridade nas Santas Casas de Misericórdia quando podia.” afirmou Sônia Fleury ao Brasil de Fato.Fleury foi assessora parlamentar na época da Constituição de 88 e atualmente é pesquisadora do Centro de Estudos Estratégicos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Ulysses Guimarães Constituição 88
Ulysses Guimarães erguendo uma cópia da Constituição de 1988, que aprovou
a criação do SUS

“Ao mesmo tempo em que se conquistou, e o SUS foi uma grande conquista da democracia, os recursos não vieram. Ao contrário, foram retirados. A CPMF [Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira] foi criada e foi retirada da Saúde, recursos que estavam previstos na Constituição também não vieram.” continuou Fleury.

A pesquisadora também destaca alguns avanços do SUS como o programa Saúde da Família, que ampliou a prática da prevenção de doenças mediante constantes checkups garantidos por consultas em unidades básicas de saúde; e o Farmácia Popular trazendo medicamentos com preços mais acessíveis para realizar tratamentos.

“Ele (SUS) é a melhor coisa que aconteceu, agora precisa que os governos e os eleitores [pensem] nas pessoas que eles vão votar, [naqueles que] se comprometam a colocar os recursos que tornem o direito universal para todo mundo, nas melhores condições que o governo possa garantir. Isso é fundamental para o bem-estar da população. Assegurar os seus direitos de cidadania, de ter uma atenção regular na saúde, saber onde ele pode ser atendido.”

FONTEBrasil de Fato.

plugins premium WordPress