Não é Plano de Saúde, é Nipomed!

HÉRNIA UMBILICAL: COMO SE PREPARAR PARA A CIRURGIA

hérnia umbilical

A hérnia umbilical é uma condição médica comumente encontrada, atingindo tanto adultos quanto crianças, com uma maior prevalência em recém-nascidos e adultos com excesso de peso ou grávidas. Ela ocorre quando uma parte do intestino ou do tecido gorduroso se projeta através de uma área fraca na parede abdominal, próximo ao umbigo.

A condição pode ser não apenas desconfortável, mas, em casos mais graves, pode representar uma ameaça significativa à saúde. Nessa perspectiva, muitas vezes a cirurgia apresenta-se como o tratamento mais viável para a hérnia umbilical.

Como em todos os procedimentos médicos, a preparação adequada para a cirurgia é fundamental para maximizar os benefícios e minimizar os riscos do processo.

Este artigo se propõe a oferecer orientações úteis e conselhos práticos sobre como se preparar para a cirurgia de hérnia umbilical, pontuando a grande importância desta para a manutenção da saúde e bem-estar do paciente.

O que é a Hérnia Umbilical e quais suas principais causas?

A Hérnia Umbilical é caracterizada por um estufamento no umbigo ou ao redor dele, que é formado por gordura ou por uma parte do intestino delgado ou grosso que conseguiu atravessar o músculo do abdômen.

Este estufamento é muitas vezes aparente quando o indivíduo está de pé, tossindo ou tensionado, e pode se retrair quando está relaxado ou deitado. A aparência visível e palpável do estufamento é o sintoma mais comum de uma hérnia umbilical.

A principal causa da hérnia umbilical é o aumento da pressão abdominal. Em adultos, as condições que levam a este aumento da pressão incluem obesidade, levantamento de peso pesado, tosse crônica, gravidez múltipla (como gêmeos ou trigêmeos) e desordens que causam acumulação prolongada e excessiva de líquido no abdômen.

Nos recém-nascidos, especialmente prematuros, a hérnia umbilical pode ser causada pela fraqueza no abdômen que ocorre quando o cordão umbilical passa pelo músculo abdominal, que não se fechou completamente após o nascimento.

Ainda que as hérnias umbilicais sejam mais comuns em recém-nascidos, a maioria se fecha por si só antes dos dois anos de idade. No entanto, se após esse período ainda persistir, é aconselhável a intervenção médica para garantir que não ocorram complicações, como o estrangulamento do tecido herniado, que pode levar à obstrução intestinal ou redução do suprimento de sangue ao tecido.

Para prevenir as hérnias umbilicais em adultos é aconselhável manter um peso saudável, evitar o levantamento de peso excessivo e gerir adequadamente as condições crônicas que possam levar ao aumento da pressão abdominal.

Quando a cirurgia de Hérnia Umbilical se torna necessária

A cirurgia de Hérnia Umbilical se torna necessária quando a hérnia persiste além dos cinco anos de idade na criança ou em qualquer situação na fase adulta. Esta condição está vinculada ao enfraquecimento dos músculos abdominais que permitem a projeção de gordura ou parte do intestino para fora da cavidade abdominal.

As hérnias umbilicais, em muitos casos, podem desaparecer por conta própria durante os primeiros anos de vida da criança. Entretanto, se a hérnia não desaparecer por si só ou se tornar dolorosa, independente da idade do paciente, a cirurgia pode ser necessária.

No caso dos adultos, a hérnia umbilical não tende a desaparecer naturalmente e pode aumentar de tamanho ao longo do tempo, podendo causar complicações sérias e dolorosas. Portanto, a cirurgia é geralmente recomendada assim que o diagnóstico é confirmado.

A cirurgia para Hérnia Umbilical é eficaz e segura. Além de corrigir o problema, ela também tem como objetivo evitar a recorrência de hérnias futuras. Durante o procedimento cirúrgico, o médico realocará o tecido que está saliente de volta para a cavidade abdominal e reforçará a parede abdominal com pontos ou uma tela cirúrgica, para evitar futuras protrusões.

Uma cirurgia também é útil para prevenir complicações graves da Hérnia Umbilical, como o aprisionamento da hérnia (encarcerada), quando a gordura ou intestino fica presa no defeito da parede abdominal, imprensada, podendo levar ao estrangulamento do intestino, causando dor intensa, náusea, vômito e a necessidade de cirurgia emergencial.

Por essas razões, é essencial que uma hérnia umbilical seja avaliada por um especialista para determinar o melhor curso de ação e discutir a possibilidade de realizar uma cirurgia, com o objetivo de evitar quaisquer complicações futuras.

Como é o procedimento cirúrgico para a Hérnia Umbilical?

O procedimento cirúrgico para hérnia umbilical é, geralmente, bastante simples e pode ser realizado de duas formas diferentes: através de um corte na região abdominal ou por videolaparoscopia.

A escolha entre essas duas opções depende da avaliação do médico-cirurgião em relação ao tamanho da hérnia e a condição do paciente. Na primeira alternativa, é feito um corte na região abdominal, por onde o médico consegue corrigir a hérnia.

Durante esta cirurgia, é utilizada a anestesia peridural, que bloqueia a sensação de dor na parte inferior do corpo, mas o paciente permanece acordado durante todo o procedimento. Após a correção da hérnia, a abertura no abdômen é suturada, normalmente, com pontos que se dissolverão à medida que a pele se cura.

Já a segunda opção, a cirurgia por videolaparoscopia, consiste na realização de pequenos furos na região abdominal. Através desses furos, o cirurgião insere pequenos instrumentos, incluindo uma câmera, que ajudará a guiar o procedimento.

O objetivo é corrigir a hérnia sem a necessidade de um corte grande. Para este procedimento, é necessária a anestesia geral, o que significa que o paciente estará inconsciente durante todo o procedimento.

Em ambas as situações, o procedimento cirúrgico para a hérnia umbilical é realizado com o principal objetivo de retornar o tecido que se projeta através do músculo abdominal enfraquecido de volta às cavidades internas do corpo e fortalecer a parede abdominal para prevenir futuros problemas.

Depois da cirurgia, o paciente precisará de tempo para se recuperar, que pode variar dependendo do método de cirurgia e da condição geral do paciente. Em geral, a cirurgia de hérnia umbilical é bem-sucedida e oferece alívio a longo prazo dos sintomas.

Recuperação pós-operatória: O que fazer para garantir a total recuperação

Em conclusão, ao se tratar da cirurgia por laparoscopia para a hérnia umbilical, a recuperação costuma ser mais rápida, com a maioria dos pacientes sendo liberados de internação logo nos primeiros dias subsequentes ao procedimento. Dentro de duas semanas, é comum que as pessoas consigam retomar suas atividades habituais.

Outro ponto positivo dessa técnica é que deixa uma cicatriz menor, ocasiona menos dor no pós-operatório e possui um menor risco de infecção quando comparada a outros métodos. Todavia, é fundamental manter alguns cuidados no período de recuperação.

Evitar pegar objetos que pesem mais de 5kg durante o primeiro mês é crucial, assim como fazer uma leve pressão com a mão sobre os pontos ao tossir. Essas ações auxiliam na prevenção de complicações e garantem um pós-operatório seguro e eficaz.

Agora que você já sabe como se dá o procedimento e a recuperação da cirurgia de hérnia umbilical, que tal conferir os planos de cirurgia oferecidos pela Nipomed Saúde? Eles foram criados pensando especificamente em proporcionar uma experiência de cuidado e suporte aos pacientes, antes, durante e após o procedimento cirúrgico.

Dê o próximo passo em direção ao seu bem-estar, explore os benefícios exclusivos dos nossos planos hoje!

plugins premium WordPress